Cattleya labiata e suas variedades

FEDERAÇÃO GAÚCHA DE ORQUIDÓFILOS – F G O

COMISSÃO TÉCNICA: Cattleya labiata e suas variedades.

CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE JULGAMENTO

P R O P O S T A

A partir da Cattleya labiata var. labiata (flor tipo), as variedades da Cattleya labiata podem ser divididas em duas categorias:

CATEGORIA I = Pelo colorido da flor

CATEGORIA II = Pela forma do colorido da flor

Observação: As variedades da Categoria I têm predominância sobre as variedades da Categoria II.

A) Cattleya labiata var. labiata (Flor tipo)

Pétalas e sépalas apresentam um colorido rosado com maior ou menor intensidade. O labelo apresenta a tonalidade purpúrea.

NOTA: Para facilitar a classificação e compreensão da descrição das variedades da Cattleya labiata, é importante ressaltar que a flor tipo pode apresentar as seguintes configurações em seus labelos:

a) Flor tipo “íntegra”: é quando a mancha purpúrea se espalha por toda a superfície do lobo anterior do labelo.

b) Flor tipo “orlata”: é quando a mancha purpúrea no lobo anterior do labelo se espalha também para os lobos laterais, formando uma margem bem pronunciada (orla) em redor dos mesmos.

c) Flor tipo “marginata”: é quando a mancha purpúrea se espalha por toda a superfície do labelo, sendo este contornado em toda a sua circunferência e extensão com uma margem de colorido róseo.

B) Variedades da Categoria I = Pelo colorido da flor:

1. Cattleya labiata var. alba

Pétalas, sépalas e labelo de um branco puro. A fauce e garganta são amareladas e enriquecidas por veios longitudinais áureos.

Observação: Deve ser ressaltado de que não existe a variedade “alba-plena”, pois nos casos raros em que plantas albas que não apresentaram o colorido amarelado da fauce e nem tampouco os veios áureos, quando envelheceram, as flores mostraram que o colorido amarelado e os veios áureos estavam apenas camuflados.

2. Cattleya labiata var. caerulea

Pétalas e sépalas podem apresentar um colorido lilás suave, indo até para uma tonalidade quase branca. O labelo apresenta a superfície do lobo anterior tingido de roxo-violeta ou lilás-rosa azulado.

Observação: A grafia correta é caerulea, pois o adjetivo latino: caeruleus(masc.), caerulea(fem.), caeruleum(neutro) é derivado do substantivo caelus (caelus=céu, azul).

3. Cattleya labiata var. rubra

Pétalas e sépalas apresentam um colorido rosa escuro ou rubro. O labelo apresenta o lobo anterior e os lobos laterais tingidos de purpúreo intenso.

Observação: Cabe ressaltar que não apenas o lobo anterior, mas também os lobos laterais devem reproduzir o colorido purpúreo intenso para que a flor seja considerada rubra.

B) Variedades da Categoria II – Pela forma do colorido da flor:

4. Cattleya labiata var. amesiana

Pétalas e sépalas se apresentam esbranquiçadas ou tingidas de uma nuance rósea, jamais de um branco puro. O labelo apresenta a superfície do lobo anterior marcada por uma mancha róseo-clara ou róseo-cárnea de forma geralmente irregular. A fauce é amarelada com veios longitudinais dourados.

5. Cattleya labiata var. amethystina

Pétalas e sépalas apresentam um colorido que varia de uma tonalidade rósea quase imperceptível para um branco. A superfície central do lobo anterior do labelo é marcada por uma mancha ametística, representada por um desenho quase sempre longitudinal. A fauce é usualmente amarelada e marcada por veios longitudinais áureos.

6. Cattleya labiata var. amoena

Pétalas e sépalas são de um branco puro. O labelo também branco em seu fundo, mas apresentando a superfície do lobo anterior tingida por um leve colorido róseo ou róseo-cárneo, na forma de uma mancha uniforme, traços ou veios. A fauce é amarelada com veios longitudinais áureos.

Observação: A pronúncia do adjetivo latino amoena é amena, pois o ditongo latino ae tem pronúncia de e. O detalhe da var. amoena está no branco puro de suas peças florais. Existe uma discussão no sentido de que por causa da cor branco puro, talvez essa flor pudesse ser confundida com a variedade semi-alba. No entanto, precisa ser ressaltado de que a cor do labelo da var. semi-alba sempre deverá ser a cor purpúrea.

7. Cattleya labiata var. concolor

Pétalas, sépalas e labelo em colorido róseo uniforme (indo de claro para médio e até ao róseo intenso. A superfície central do labelo é esbranquiçada. A fauce é amarelada, manchada ou não da cor purpúrea e enriquecida por veios longitudinais áureos.

Observação: Deve ser ressaltado de que, caso houver um colorido levemente mais acentuado p. ex. no labelo, esse detalhe não pode colocar em dúvida a percepção concolor, ou seja, de que o colorido está distribuído uniformemente por toda a flor.

8. Cattleya labiata var. multiforme

Pétalas e sépalas apresentam um colorido desde o branco, indo para levemente rosado até um rosado mais intenso. O labelo apresenta um colorido purpúreo, mais ou menos intenso e de formas as mais variadas.

9. Cattleya labiata var. roxo-bispo

Pétalas e sépalas esbranquiçadas ou levemente rosadas. O labelo apresenta em seu lobo anterior a tonalidade lilás-avermelhado (cor das vestimentas dos bispos católicos) com ou sem desenhos variados.

Observação: O colorido “roxo-bispo” (que ocorre também na Laelia purpurata) existe em plantas do gênero Cattleya labiata. Na literatura essa variedade aparece em relação ao colecionador Urbano Bloss, o qual teve a sorte de encontrar entre as plantas vindas de Pernambuco na época também a var. multiforme( purpureo-lineata `Cara Branca´). Mesmo que existem afirmações de que os gaúchos estão misturando Laelias com Cattleyas, propõe-se manter essa variedade como está em vigor na FGO.

10. Cattleya labiata var. semi-alba

Pétalas e sépalas em branco puro. O labelo é igualmente branco, mas com sua superfície central tingida por um colorido unicamente na cor purpúrea que pode se apresentar como uma mancha uniforme, desenho irregular, estrias ou veios. A fauce é usualmente escurecida de cor purpúrea e marcada por veios longitudinais áureos.

 

Faça o download do arquivo AQUI